julho 19, 2009

O meu próprio céu de baunilha

Às 17h da tarde, olhando pela janela, vi um sol a iluminar a tarde cinzenta. E palavras que tambem pareciam faíscas quentinhas a esquentar esse peito resfriado. E logo percebo que as melhores coisas são aquelas que geralmente as pessoas menos observam, mas, que aos meus olhos estão ali bem nítidas. Não importa o que houve, não importa se choveu... o que quero contar diz respeito a um outro emaranhado - eu sonhei. E eram cinco horas da manhã de um domingo gélido - mas eu estava sonhando. Estava presa à uma pescaria enérgica de sonhos. E a Bahia de todos os santos é tão linda nesse horário. Me recordei tambem daquele avião, daquelas vidas sendo trazidas, modificadas para todo o sempre. Alguns caminhos, alguns signos apareceram com um sinal de "=" em minha mente. Por que eu sou Alice e você é concha. Por isso a coleção delas, por isso o frenesi ao estar diante do mar.
O bem-estar, o cheiro discriminado de morango, os felinos... eu queria mesmo lembrar de todos os "peixes-sonho" que eu pesquei nessa alucinada madrugada.

4 comentários:

Van-nessa disse...

esses signos... ^^
senti o frescor de bons ventos vindos do atlântico, e uma garoa* fina caindo. E o céu também é de baunilha, pelo o que pude perceber... e com direito a suporte técnico e tudo! =]

"senhooora! ô senhora!"

Simone Schuck disse...

Viver algo é isso. Não destinguí-lo entre realidade e sonho... e no final tem alguma diferença?

Sarai disse...

a fto é do vanilla sky,não é?
lembro de achado bem louco mas gostei bastante do filme..

Deize Almeida disse...

'Estava presa à uma pescaria enérgica de sonhos'=)