abril 27, 2009

Vaquinhas, cachorros e gatinhos em vidrinhos de som



"Pra que sofrer
se a  dor já é algo da vida se é preciso encontrar saídas  
pra problemas que pintar?

Por que temer o imprevisto que sempre traz risco

se o acaso com a vida desde sempre formam par?
é bom cantar quando na vida o que ficou pra trás já

não importa mais (e naquele dia, que vi aquele rosto que me sorria,
percebi, num simples olhar tudo o que havia)..."
______________________________________________________________
Como doi o coração ver a maldade se alastrando e tomando conta dos corações que eu amo. Como é frustante ver os sentimentos ruins adentrando pela porta da frente...sensação de impotência, fraqueza. E eis que vejo alguns sucumbirem, e quem saber até o meu corpo se curve tambem perante essa soberania negra. Falta realmente ar para continuar, falta claridade pra tentar ver um "norte". E corrói toda essa sencação, tão minha e tão universal.
Saí então pra contar conchas...olhar as matizes das flores, sua delicadeza. Quem sabe até molhar os pés numa água fria num dia chuvoso.
Estou feliz mais uma vez. Conto estrelas para desfazer o encanto do mal. Eu posso te ajudar tambem. É so querer =)

3 comentários:

Simone Schuck disse...

Não vai se curvar nada! (as vezes dá uma vontade, né... cansa.) É um papel difícil "ver as coisas de fora", mas como tu mesma disseste, é o momento de ajudar quem não conseguiu resistir...

Mr. Guima disse...

suspeito todo se falar que gostei.

¬¬

"Conto estrelas para desfazer o encanto do mal."

isso é bonito.

bjo e só

Raquel disse...

você escreve tão bem .. consegu transmitir de uma maneira bem clara e bela .. tudo que pensa e que sonha! adorando ler td isso aqui ;)