agosto 26, 2008

Bolinha translúcida

É, é o amor que finalmente cerrou os cinco dedos de sua mão. Umas palavrinhas sem nexo, uns agarrões contidos, uma tal de frieza óptica...rs
Acho que enfim, a aclamada solução, seria talvez a ida a Marte. Uma nova atmosfera pra podermos começar do zero a construção das nossas relações. Aqui, pra variar só nos rodeia a guerra. Um mal humor diário, um sorriso amarelo a deformar dia depois de dias aquelas nossas belíssimas faces.
Passa tempo, tempo passa. Continua caindo Alice, não para.

P.s: coração ainda a pulsar =)

5 comentários:

Vendedor de sonhos. disse...

E sempre vai pulsar, acredite nisso, lindo seus textos, escreve com tanta certeza que me passa a vontade de sempre ler.
Um grande beijo
o vendedor de sonhos

vanessa disse...

tum-tum... tum-tum...

Livia Queiroz disse...

amor a pulsaaar rsr

eh assim, e esse mesmo amor que pulsa cerra tb os dedos, e alma, e as pontinhas de pensamento.
E começar do zero Só perdendo a memória!

rsr

adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Ricardo disse...

Menina, quantas saudades de tu...quando me escreves novamente? beijos

Sammyra Santana disse...

passa tempo, passa tempo...
tô nessa mesma condição...
aiai...
Beijo, flor!