agosto 21, 2008

...²


Eu só, a esperar o dia o qual eu finalmente possa por minha bela máscara mágica de carnaval- eterno, para ao seu lado sentir todas as loucas serpetinas a nos tocarem...Perecer no calor febril de nossa existência única...
Entender o por que, tender a permancer, coletar estrelas só para em seguida libertá-las.
Só você para não perceber quantos livros existem de "poemas-a-você-mesmo".
E se isso é uma daquelas declarações patéticas que há tempos não se vêem?
Sim.
Um pouco moderninha, mas ainda assim provida de muita veracidade.
Pode ser caracterizada como uma.

E ainda assim, por que ainda não? =/

[Quando me vi tendo de viver comigo apenas
E com o mundo
Você me veio como um sonho bom

E me assustei
"Não sou perfeito"... ]


4 comentários:

Leonardo disse...

muito legal o texto...

Abraços!

Simone Schuck disse...

Não há amor no texto: escrito, porque está transbordando amor subentendido.

Lindo, lindo... Parabéns!
Beijos

AnDré disse...

Show de bola esse texto!!!

O blog também ta muito bom!!!

=D

Vanessa disse...

Linda declaração patética, amor!

=D