dezembro 05, 2007

Today was a pretty day

Queria poder me preocupar apenas com o funcionamento das minhas células. Quisera eu deitar e dormir o sono das crianças, deixar tudo de lado e sonhar desmedidamente. Queria preocupar-me apenas em encher ainda mais a vida das pessoas que eu amo de felicidade, e não ouví-las narrar o males que a tão aclamada modernidade lhes proporciona cotidianamente. Quem dera me fosse consedido o prazer de refletir, de questionar a minha existência apenas nos dias de aniversário e em viradas de ano, que maravilha que seria! Quisera eu me preocupar apenas em escrever cartas patéticas de amor, em massagear os pezinhos cansados de minha mãe, em entender a simbologia da linguagem do meu cachorro.
Desejaria apenas ceder a minha pele macia ao meu príncipe cheio de defeitos, sem me preocupar com o capitalismo que nos corrompe, que nos faz vomitar aspereza...
Queria mesmo poder caminhar de cabeça erguida pelas ruas, observar as árvores e seus efeitos dourados de primavera pré-verão sem recordar com tristeza brutal dos que não veem, dos que não ouvem, dos que não comem...
Vou ingerindo uma e outra migalha de certeza, choramingando a ganância e sua vitória. Sobrevivendo do amor diário que pessoas-oxigênio insuflam em meus pobres pés. Do contrário já estaria há tempos estendida sem vida em algum lugar...

* Amendoeiras em flor, Vincent Van Gogh

4 comentários:

Traveler disse...

É.
Tudo culpa dessa nossa sociedade que acha que felicidade se resume a algo que se compra no mercado.
Mais ainda bem que existe sempre alguém pra nos chamar de volta a verdadeira realidade. E essa é a verdadeira felicidade, pura e simples. Que nos devolve a vontade de ser e fazer alguém feliz. =D

Van-nessa disse...

Queria poder sentar numa rede, em frente ao mais belo jardim (cheio de borboletas, claro!), comer o brigadeiro mais 'brigadeirado' do mundo entre braços e pernas do Coisinho além da ilusão...

isaflor9 disse...

Quisera pudessemos viver em mundo sem ilusões. Quisera as fórmulas fossem mais simples do q a nossa boca profere. Quisera pudessemos amar e ser correspondindo. Quisera pudessemos doar o nosso amor e não receber o silencio de volta. Quisera pudessem as pessoas aceitar o q lhes é dado sem pestanejar, sem questionar, sem estragar as coisas. Quisera as pessoas fossem apenas simples pessoas. Quisera o mundo fosse um lugar bom de viver. Quisera não reclamássemos tanto da vida. Quisera as pessoas fossem apenas simples seres capazes de amar, não calar, fossem tb elas desprovidas de egoísmo e agocentrismo. O mundo não é ruim, a vida não é complicada... a culpa está imbutida nas pessoas.

xico pessoa disse...

complicado..


o que seria do claro sem a escuridao?

o que seria do amor sem o odio?

o que seria da vida sem os seus contrastes?


as vezes me pergunto se quero mesmo ir pro paraiso..