novembro 19, 2007

"...E me inclino à tua boca pra beijar a terra"

Eu estive em sua pele, senti o mesmo calafrio que tocou as suas entranhas, e derreti... me esvai na atmosfera que as energias criaram. E aproveitei. Rodei milhares de vezes na roda gigante, vi os olhos lá de cima, e cá de baixo. E corri. Corri metros e metros com o novo ar que me insuflastes. E respirei o mais profundo que pude.... me teletransportei. Pés no céu tocavam, e na boca se encerrava o gosto das bebidas nobres. Aqui não se precisa de matéria para que hajam movimentos. Basta imaginar, e lá estou no lugar o qual quero estar. E meu cerebro, tão pequenino, lá ainda está, talvez cá mesmo, tentando decifrar cada folha que o vento balançava naquela tarde dourada e inebriante.
Outra visão, quem sabe outros olhos, ou os mesmos, aqueles que tentam devorar a alma que naquele espelho vive...
Sente tu, somos nós, sou eu e tu e nós, tudo sendo e existindo ao mesmo passar de ponteiros...uma só dissolução. E eis que o pouco em tudo se transforma.



6 comentários:

Fabiano disse...

Menina, parabens pelos textos! De uma delicadeza absurda...

Traveler disse...

lindo!
nem tenho palavras pra comentar...
=)

isaflor9 disse...

Criatura se sensibilidade aguçada!!! Como disse Nando Reis nós somos um pouco do que lemos e vivemos. Lindo... amei!!!
Te amooo

Van-nessa disse...

e eu cá do outro lado, à flor da pele!

Lindo amor!
Bjin!

paulo disse...

... vc escreve mais que bem! eu cá a admirar suas letras...

beijos beijos

paulo

xico disse...

lindo..

caramba..muito bom mesmo..

que felicidade poder conhecer uma pessoa assim...=)

bjo baiana bonita...

=**