outubro 20, 2009

Um domingo no parque

No meu juízo fervilhava o dourado do sol da Bahia, nos meus olhos as imagens de uma vida feliz eram armazenadas - quanta matéria orgânica pulsando de uma só vez.
Pra um sorriso ecoar era bem fácil: bastavam aquelas almas bailando em frente a mim.
Eu caminho e você vem. Apesar de não estar ali na presença convencional, cristais de você tambem foram. Ah, ter aquele líquido gélido a escorrer pela garganta era algo fenomenal. E, mais delicioso ainda era sentir a massagem que ele fazia no já quase entorpecido cerebro.
A juventude é linda, e você tambem... com seus olhinhos reluzindo nesse dia etereo...
E quando acordo, percebo que sai dos sonhos mais tranquilos que essa manhã poderia me oferecer.

'Se essa mulher fosse minha
Eu ensinava ela a viver
Dava feijão com farinha
A semana todinha
Pra ela comer'




5 comentários:

Espinheira disse...

Um domingo bonito, intranquilo, mas ainda assim bonito. Sempre são os momentos iluminados com a presença de importantes seres.

Rudsson disse...

aff Sol da desgraça sai fora, falta do que fazer é um caso sério. rsrs

Tangerine disse...

¬¬

Van-nessa disse...

Uma boa forma de transformar o domingo num dia azul é acordar cedo e passear no parque ao som de canções da América***

ju Vitachi disse...

'Se essa mulher fosse minha
Eu ensinava ela a viver
Dava feijão com farinha
A semana todinha
Pra ela comer'


Um poeminha romântico bem brasileiro. Gostei do blog.

Beijo.