fevereiro 10, 2006

Eterna dia(lética)

Para que eu possa amar... eu pergunto a ela mesma, e o que ouço como resposta é exatamente o que imaginava, exatamente o que esperava ouvir: estou cansada das superficialidades! Por que não posso querer-te a todo instante? por que tenho que pensar antes de tudo na profundidade do abismo que quero jogar-me? Te quero perto, e isso enfim bastaria. Entretanto, aprendi muito com as inúmeras particulas luminosas que foram cedidas pelo deus Cronos, e agora sinto-me uma pessoa desprovida de inteligência( uma vez que os providos dessa benção não ficam por ai a questionar tudo aquilo que vêem, ouvem, sentem....será?). Será que não passo de um animal? (animal por inteiro, por que partes selvagens, animalescas, essas eu tenho certeza que possuo) tenho que sentar comigo essa noite para refletirmos sobre isso... rs

Quero viver intensamente o substantivo grego “agapé”!!! "um amor incondicional baseado no comportamento”... exatamente isso que eu necessito, afinal, o amor que a gente sente não é o mesmo amor que a gente faz.... esse ultimo é expresso por atitudes, e não através de palavras... ou seja, apaixonar-me por suas palavras, pelo que voce diz é algo de possibilidade remota. Aguardo demonstrações desse amor que se julga tão imenso...

"nós nunca poderemos controlar nossos sentimentos em relação às pessoas, mas nosso comportamento nós podemos controlar sempre... nós podemos sempre ter uma atitude de amor, mesmo que não sintamos o amor da maneira que imaginamos esse sentimento..."

__________________________________________
e que venha, desmedido, colorido, infindo....
rápido, pois o ser que aqui jaz em minha materia anda sem
inspiração para viver...

__________________________________________
Assim foi o sonho.... hj aconteceu assim...transmitir-lhes
fielmente as imagens que nele vi.

2 comentários:

Marinha :..Diva..: disse...

Noussa...
Como apenas comentar algo assim... Tão profundo???
Os outros podem até tentar... Mas somente nós mesmas, Divas, (modestamente falando) para compreendermos tal sentimento em que sua alma, Diva Daly, almeijou expressar... Do tocante ao abstrato. :D
Enfim, somos simples assim...:)
Bjs
Adoro-te..

Ricardo disse...

oi dali... que bom poder et ver escrever, voltar a escrever...e coisasa tao lindas assim. orgulho-me de ter vc como amiga, e saber que tu tens uma alma tao doce, diferentemente da maioria dos seres que por aqui vivem....obrigado por tudo, o seu sempre fiel: Ricardo Kinzkowski